Colômbia acusa Equador

03/03/2008 - 01h54 Colômbia diz que Governo equatoriano tem "compromissos" com as Farc Da EFE Em Bogotá O governo da Colômbia disse hoje que tem em seu poder documentos que comprometem o Governo do presidente equatoriano, Rafael Correa, de ter "compromissos" com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. Assim assegurou esta noite o diretor da Polícia da Colômbia, general Oscar Naranjo, dizendo que a informação está contida em
um dos computadores apreendido do porta-voz internacional e número dois das Farc, "Raúl Reyes", morto no sábado, em território equatoriano. Inicialmente, o governo colombiano disse ter "informação do histórico do secretariado" das Farc, após uma primeira análise do material apreendido de "Reyes". Naranjo disse que em um documento, elaborado por "Reyes" e dirigido ao comando das Farc, se detalha que o ministro de Segurança do Equador, Gustavo Larrea, em nome do presidente do Equador, "tem o interesse de oficializar as relações com a direção das Farc". Esse documento também diz que o Governo do presidente Correa se compromete a substituir os comandantes policiais e militares nas zonas equatorianas onde estão as Farc. Acrescenta que a política equatoriana é de se negar a participar do conflito interno vivido pela Colômbia e que o país se ofereça para ajudar na troca humanitária de reféns das Farc por guerrilheiros presos. Também, segundo Naranjo, se solicita ao máximo chefe das Farc, Manuel Marulanda, conhecido como "Tirofijo", uma contribuição que impulsione a gestão de Correa na troca humanitária, que poderia ser entregar a seu Governo o filho de um professor de sobrenome Moncayo, em poder dos rebeldes há mais de 10 anos. Em outro documento, datado em 18 de janeiro e também escrito por "Reyes", se deixa entrever que o ministro equatoriano Larrea teve contatos diretos com esse chefe da guerrilha, já fora na Colômbia ou no Equador. De acordo com Naranjo, os documentos comprometem a segurança da Colômbia e é o Equador que tem que dar explicações claras e contundentes. O diretor da Polícia colombiana disse que nas próximas horas serão feitas novas revelações dos vínculos do Governo equatoriano com as Farc.

Sobre o Autor: JORGE CESAR DE ASSIS

Possui graduação em Direito pela Faculdade de Direito de Curitiba (1990) e graduação em Curso de Formação de Oficiais pela Academia Policial Militar do Guatupê (1977). Atualmente é integrante do cadastro de docentes da Escola Superior do Ministério Público da União, sócio fundador da Associação Internacional das Justiças Militares. É membro do Ministério Público da União, sendo Promotor da Justiça Militar lotado em Santa Maria - RS. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Militar. Palestrante e articulista assíduo.